Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Minera e rochas



            Ocorrências
       O Amapá possui ocorrências auríferas ainda imensuráveis. Atualmente (2006)  a MPBA é detentora dos direitos minerários do projeto que pertencia à Anglogold (Mineração Itajobi), com investimentos projetados para 100 milhões de dólares inicialmente. A exploração dessa mina iniciou-se em outubro de 2005 e, sua produção anual prevista é de 115 mil onças-ano, equivalentes a 3,5 toneladas/ano.
          A atividade garimpeira exercida nas regiões do Lourenço e no Vila Nova, municípios de Calçoene e Mazagão respectivamente, produzem atualmente em torno de 5 toneladas/ano.
          Vejamos agora as maiores ocorrências minerais no Amapá:

          Água Mineral
          Ocorrências de aquíferos mineralizados hipotermais são registradas no Amapá, comercializadas pela empresa Equador, havendo outros estudos de fontes minerais no Estado.

          Areia e Seixo
          Sedimentos inconsolidados que ocorrem nos leitos e nas margens dos rios que cortam o Estado, principalmente os rios Araguari e Matapi, no municipio de Porto Grande. São materiais empregados como  agregados da construção civil, explorados por pequenos empresários.

          Argila
          Silicato de aluminio hidratado, utilizado na fabricação de cerâmica branca e em artesanato. Ocorre em todo o litoral sudeste,leste e nordeste do Estado, em terrenos de idade terciária/quaternária. O principal tipo de argila explorado é a argila vermelha, utilikzada na fabricação de tijolo, telha, lajota, maninha, etc.



            Bauxita
          Tipo de rocha com aparência de argila, mas sem plasticidade, constituída essencialmente de hidróxido de alumínio, de mistura com argilas, hidróxido de ferro, fosfato de alumínio, entre outros. É a principal matéria prima para a fabricação de alumínio (sulfato de alumínio), cimento aluminoso e refratários aluminosos.
          O Amapá detém reservas nasregiões de Serra do Acapuzal e Igarapé do Lago, nos municipios de Vitória do Jari e Santana, respectivamente.  As reservas medidas são de 66 milhões de toneladas. Em 26 de abril de 1956, um grupo industrial norte-americano (Reynolds Metal) mostra interesse em pesquisar e explorar jazidas de bauxita, do município de Tartarugalzinho, descobertos por Francisco Caboclo do Nascimento. (Jornal A Notícia, Macapá, 28.04.1956).

          Brita
          Material proveniente do desmonte e fracionamento de rochas graníticas e magmáticas em geral, utilizado na pavimentação de rodovias e composição de concreto. Sua exploração ocorre principalmente na região de Tracajatuba, municipio de Ferreira Gomes.

          Calcário
          É carbonato de cálcio sob a forma de calcita e dolomita É aplicado na fabricação de cimento, cal, vidro e corretivos de solos. Sua classificação é do tipo dolomítico, calcítico e magnesiano. No Amapá, ocorrência de calcário foi registrada no município de Ferreira Gomes, comunidade do Triunfo.

          Cassiterita
          A cassiterita (minerio de estanho) foi grandemente explorada por ocasião do ultimo conflito mundial no Amapá (bacia do Amapari) na fase territorial. Também em Rondônia têm sido verificadas maiores ocorrencias de cassiterita. A cassiterita do Amapá, a exemplo de Rondonia, é pura, constituindo minério de fácil redução e de alto teor de Sn (mais de 60%).
          Na África, a cassiterita está sempre presente nas ocorrências de tântalo-nióbio, tantona Nigéria como no Congo. A maior parte dos depósitos provém de granitos e pigmatitos. O topásio é acessório nas ocorrências  da Nigéria e a turmalina nas do Congo. Como na África, as reservas primárias do Amapá não são economicamente exploráveis, sendo trabalhadas com eficiência apenas os “placers”. Entretanto, nenhum pigmatito, até o presente momento, se revelou produtor em larga escala no Amapá.
          O minério foi objeto de estudo de várias pesquisadores, entre eles Fritz Louis Ackermann e Waldemiro de Oliveira Gomes. Ao longo da BR-210, a cassiterita ocorre em vários pontos nos igarapé e nas encostas das primeiras elevações, localmente denominadas pirocas, como sejam, nas imediações do Tumucumaque  e do Amapari.

          Caulim (Kaolim)
          Mineral argiloso, branco, composto principalmente de caulinita, usado na produção de tintas, borracha, cosméticos, produtos químicos, farmacêuticos e veterinários, catalizadores para refino de petróleo e, essencialmente na indústria do papel.
          Atualmente a produção do caulim no Estado é feita pela Cadam (Caulim da Amazônia), que explora uma mina no morro do Filipe, margem esquerda do rio Jari, no município de Vitória do Jari. A reserva é de aproximadamente 360 milhões de toneladas, e a produção, em 2005,  foi de 625.000 toneladas.

          Cromita
          Mineral do qual obtem-se o cromo metálico usado na fabricação de aços especiais, na indústria química e indústria de curtidos. A cromita do Amapá é explorada pela Mineração Vila Nova, no município de Mazagão, registrando em 2005 uma produção de 250 mil toneladas de concentrado de cromita. Suas reservas depassam, de acordo com os últimos dados, volumes superiores a 5 milhões de toneladas.

          Ferro
          Minério essencial para indústria siderúrgica, na fabricação de aços, chapas e ligas metálicas. No Amapá ocorrem grandes jazimentos de ferro, localizados na região do Vila Nova e Tracajatuba.
          Em 14 de agosto de 1945, pelo decreto federal nº 19.424, o governo do Amapá é autorizado a pesquisar minério de ferro em Macapá e Mazagão.
          A MMX detém os direitos minerários de uma reserva ainda em processo de cubagem, na região do Amapari, que se somam às pesquisas da Mineração Amapari, estimadas no estágio atual(2006) superiores a 30 milhões de toneladas. O proto minério é de natureza itabirítica e o minério enriquecido secundariamente é a Hematita com teores aproximaos de 64%. Além da viabilidade de uma indústria siderúrgica, o minério de ferro decorrente do seu alto teor justificaria a produção de “pellets”, em larga escala.

          Hidrocarbonetos
          a BP Brasil Ltda, em conjunto com a Britsh Borne, Elf, Esso, Petrobrás,  e Shell participaram de dois contratos assinados com a ANP visando a exploração do petróleo e gás, na foz do rio Amazonas, em águas profunda a mais de 200km do litoral amapaense. Foram perfurados dois poços com lâminas d'água variando entre 800 a 1.650 metros.
          Estruturas geológicas e as camadas sedimentares observáveis na plataforma continental amapaense, semelhante às da bacia do Orenoco são potencialmente favoráveis ao armazenamento de óleo e gás.

          Laterita (Pedra Preta)
          Rocha constituída por vários minerais, silticos e arenosos, agregada por cimento silicato/ferruginoso, de coloração amarelada/avermelhada, que ocorre nos platõs e nas encostas dos morros, na forma de matacões, blocos e glânulos. Geralmente é conhecida como canga. São utilizadas para aterros e baldrames.

          Tantalita-Columbita
          Mineral explorado através do processo de garimpagem nas regiões do Lourenço, Tartarugalzinho e Cassiporé. É utillizado principalmente na fabricação de capacitores para telefone celular, computador, pager, laptop e eletrônica automotiva. Utiliza-se também sob a forma de carbeto de tântalo em ferramentas de cortes, em finas ligas na indústria aeronáutica para fabricação de turbinas especiais, em produtos laminados e fios resistentes à corrosão e altas temperaturas.
          A empresa Mineral & Metais detém os direitos minerários para exploração e beneficiamento de tantalita, na região do Vila Nova, com projeto de implantação de uma unidade industrial para fabricação de pentóxidos de tântalo e nióbio.
          No Lourenço, a tantalita é explorada pela Coogal (Cooperativa de Garimpeiros do Lourenço), que também explora ouro na região.


          Mineradoras e Cooperativas de Garimpeiros
         
          Anglogold (Mineração Itajobi).
          Empresa que realizou exploração de ouro no Amapá na região de Serra do Navio, a partir de 1978.

          Cadam – Caulim da Amazônia
          Empresa que explora o Caulim no Amapá, principalmente uma mina no Morro do Filipe, na margem esquerda do rio Jari (lado amapaense), no município de Vitória do Jari.

          Coogal – Cooperativa dos Garimpeiros do Lourenço
          Associação, em regime de cooperativa, formada por garimpeiros da região do Lourenço (Calçoene), que explora a tantalita e o ouro na região.        

          Mineração Amapari
          Empresa que explora ferro na região do Amapari (Pedra Branca e Serra do Navio)

          Mineração Vila Nova (Mazagão)
          Empresa que explora cromita no Amapá, na região de Mazagão. Só em 2005 a mineradora realizou uma produção de 250 mil toneladas de concentrado de cromita.
          Mineral & Metais
          Empresa que detém os direitos minerários para exploração e beneficiamento de tantalita, na região do Vila Nova, com projeto de implantação de uma unidade industrial para fabricação de pentóxidos de tântalos e níóbios.

          MMX
          Mineradora que detém os direitos minerários de uma reserva, ainda em processo de cubagem, na região do Amapari, que se seomam aspesquisas da Mineração Amapari, estimadas no estágio atual superiores a 30 milhões de toneladas.

          MPBA (Mineração Pedra Branca do Amapari)
          Empresa minerária que se instalou no Amapá em 2005, explorando a região de Pedra Branca do Amapari e Serra do Navio, com uma produção anual média equivalente a 3,5 toneladas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário